sábado, 31 de julho de 2010

ESPANTO


Espanta-me o homem que se espanta com medo da chuva. A chuva nada mais é do que água, apenas.
Espanta-me o frio do silêncio do homem que não sabe responder se a chuva é lágrima ou lástima.

Viva e molhada a chuva seja.

Yasmine Lemos
31/07/2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

VAMPIRISMO



Acabaram-se todas as minhas declarações

Você sugou tudo

Eu sem perceber

Acabei meus amos,amo você

Sangue sem correr

Não tenho mais o que dizer.

Yasmine Lemos

SINAIS DE FOGO

quarta-feira, 28 de julho de 2010

APRENDER A AMAR


A música costura minha pele

Curada pelos sons

Todos os dons

Consolo leve, tímido

Beijo de filho voltando

Amor menino

Felicidade

Realidade

Ponto cego

Furo no dedo

Sem medo

Danço

Conforme o tom

Sem sair do ritmo

Seja alegria ou dor

Sangro e me entrego

Puro amor.





Yasmine Lemos

28/07/2010

AFONSO ROMANO DE SANTANNA

Arte-final

 



Não basta um grande amor

para fazer poemas.

E o amor dos artistas, não se enganem,

não é mais belo

que o amor da gente.



O grande amante é aquele que silente

se aplica a escrever com o corpo

o que seu corpo deseja e sente.



Uma coisa é a letra,

o outro o ato,



– quem toma uma por outra

confunde e mente.


(Afonso Romano de Santanna)



segunda-feira, 26 de julho de 2010

POLITICO PHOTOSHOP


A campanha política começou para valer aqui em Natal, twiter,carro de som, etc,etc é de embrulhar o estômago. Temos duas opções para suportar: fazer de conta que nada está acontecendo ou rir muito. Todos se transformam,os candidatos são patéticos nas fotografias juntos com a população mais humilde ou os oportunistas que não querem perder a chance de  se manter em algum cargo ou ganhar coisas bem melhores. Comem sem prazer e se lambuzam em mesas quilométricas junto às comunidades, abraçando as criancinhas das favelas e morros, mas não esquecem suas camisas de grifes ,seja com um jacarezinho grudado no peito ou  brasões enormes  cafonas em outros. As mulheres não ficam atrás , cabelos bem escovados , rodeadas de "amigas" correligionárias.
E todos gritam :- Esse é o meu candidato!
É tão péssimo de assistir e de ouvir que o photoshop nos cartazes de campanha faz  milagre , porém não consegue tirar o brilho do verniz da hipocrisia. E alguns blogueiros ? Um dia elogia um candidato, no outro, critica ,fala mal nas entrelinhas.  Por que será?$$$$
Me estendo também ao panorama nacional , que neste caso é bem mais complexo e descarado.
E meu voto vai para quem? Estou rindo sem photoshop, para não chorar.
P.S: por falar no assunto ,está em cartaz o filme "O BEM AMADO" imperdível .

Yasmine Lemos

sábado, 24 de julho de 2010

DE LUA


E você me olha

E não diz nada

Parto crescente

Lua

Muda

Decifra

Nua

Sou sua

Inteiramente.



Yasmine Lemos

24/07/2010

sexta-feira, 23 de julho de 2010

NIETZSCHE

"Há uma exuberância na bondade que parece ser maldade".


(Friedrich Nietzsche)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

DE JUSTOS E CEGOS



"Quem comete uma injustiça é sempre mais infeliz que o injustiçado." (Platão)

Comentário da blogueira: Nem sempre. O injusto não tem coragem ,ou quase sempre o silêncio prevalece.
 Não se "toca" das injustiças , mas descobri também que existem  sentimentos entre tantos erros e atos falhos. O que é injustiça quando se  tem sentimento?
Que responda o homem capaz.
Platão não conheceu este mundo,por mais visionário que fosse.

CORAGEM , que você resida numa alma digna do teu nome.

Yasmine Lemos
22/07/2010

RITCHE




quarta-feira, 21 de julho de 2010

P&B


 Sem foco na imagem

Espelho refletor

Você esperando

Minha revelação

Sem luz

Amor.



Yasmine Lemos

21/07/2010

terça-feira, 20 de julho de 2010

DE DIGITAIS


Pra quê tanta mobília?



Meus livros já estão guardados na memória



Entre eles



Linhas registram verdades de outros



Pensamentos tortos







Algumas mentiras



E me reconheço sendo vítima



Desculpa de insensatez



Nítida







Estante estreita







Em instantes percebo minhas digitais



Que me entregam



Algo meu de alma e carne



Poeira delatora



De sentimentos



Nas páginas de sonhos



Sem direitos autorais.







Yasmine Lemos



20/07/2010

segunda-feira, 19 de julho de 2010

DE DESCOBERTAS TARDIAS

Tela: H.Esteves do Sacramento /RJ 1904

Quando menina ouvia quase sempre, que não devia mentir que mostrasse meus sentimentos. Jamais enganar o próximo. Um tipo de catecismo imposto por regras e dogmas,obedecia,era uma lei.



- “Deus castiga!”.



Crescendo percebi que o mundo é muito mais complexo do que imaginava.



Cada pessoa parece-me que são duas ou três. Uma que se reveste para a “aldeia” onde sobrevive, outra que se esconde e chora, tira a máscara, se desfaz em prantos, sorrir, dá gargalhada alta, sem nenhuma etiqueta.



Aquela menina que ensinaram a existir, mas que não pode crescer e ser. A autenticidade tem um preço alto. E uma terceira pessoa que tem uma essência natural, conflito entre parecer e ser.



Não posso ser o que a menina tem que fazer, não consigo colocar nada no meu rosto, preciso dele limpo, meu livro de catecismo nunca guardei,perdi.



O que sou não incomoda a ninguém, não ultrapasso direitos alheios, atropelo os meus sentidos. Tudo politicamente correto, se algo for machucado , será a minha pele no jogo do xadrez.



E foi assim que passei um bom tempo procurando minha descrição, meu perfil fora dos modelos, encontrei. Espantada, mas contente, dentro da caixa, não havia manual de instruções.



Vou continuar sendo, amando e existindo, mesmo que não entendam meus sinais.







Yasmine Lemos



19/07/2010

sexta-feira, 16 de julho de 2010

quinta-feira, 15 de julho de 2010

QUAL SERIA A RESPOSTA DE ISSAC?


Fechei o portão da varanda.

Hora de deixar meu filho na escola. Ao passar pelo jardim, me deparo com uma gata totalmente arrepiada, mostrando os dentes e querendo avançar. Ao seu redor filhotes mamando. Criou-se um impasse. Eu querendo passar e logo coloquei meu filho nos braços. Ela não sei se posso dizer com “raiva”, mas seu instinto materno temia alguma ameaça para seus filhotes, eu também para a minha cria. Olho no olho, comecei a reclamar com medo mesmo, que tinha que passar. Cheguei a jogar uma romã do jardim na tentativa de criar uma passagem. Não sei a linguagem dos bichos, uma pena, pois são bem menos estranhos que nós humanos.

Ela cedeu mostrando-me os dentes, mas carregou com ela os três gatinhos. Entendi: Ela era mãe também.

Sem repetições de assuntos, não existe explicação para a maldade contra uma criança. Até os animais defendem os seus. A mãe é por natureza fiel ao seu corpo na hora e momento da gestação. Existe a cumplicidade das reações corporais e emocionais. Nascido o filho, o cordão se quebra e a opção não é da criança seguir sozinho, o momento é da mãe, sem fazer julgamentos, generalizo de maneira comum ao mundo. Acredito que uma criança de até dez,onze,doze não sei ,não tem como escolher sua forma de ser amado. A mãe é responsável sim pela identidade afetiva que os olhos do pequeno terá diante do mundo. Se por outros motivos, fortes ou fracos não poder criar, dê espaço para quem pode doar amor, afeto. Os pais sempre serão reflexos.

Vou buscar explicações em livros, nos amigos, nas opiniões cientificas e nada me consola, me acalma diante de tanto horror que vimos no último mês. Mas voltando a mente bem para trás, podemos encontrar registros de crimes contra crianças no império romano, onde tribos de bárbaros praticavam o infanticídio, e hoje se ligarmos a internet podemos assistir corpos de meninas nas ruas da China, por causa do controle de natalidade e a preferência para o sexo masculino, mas o que temos com isso? Questão cultural ou controle de natalidade.

E o mundo continua girando e as nossas cabeças também. Não acredito em loucura para o mal. Acredito que o mal existe e se mostra se houver espaço físico e mental para desenvolver-se. Fui criada com base cristã e tenho minhas conversas com meu Deus, com meus santos, da minha maneira, do meu jeito. Talvez uma fuga para não obter nenhuma resposta ou me enganar achando que não mereço saber a verdade. Sempre que lia a história da criação do mundo segundo a bíblia em Genesis (1), me intrigava o momento em que Abraão decidira sacrificar seu filho Isaac a pedido de uma prova divina. Sim, Deus não permitiu, pois na história está escrito que a coragem em decidir matar o filho foi suficiente e Deus livrou Isaac.

Hoje se eu pudesse encontrar com Isaac perguntaria se ele queria ser filho de Abraão ou da gata do meu jardim.

Acho que coisas da cabeça de uma mãe fora de moda.

Yasmine Lemos

E.T: Ontem foi encaminhado ao  congresso um projeto de lei que protege as crianças contra abuso dos pais com palmadas e agressões fisicas ou morais.



segunda-feira, 12 de julho de 2010

CASULO


A alma às vezes foge

A pele nua e fria

Como um vulto

Sorri para meu reflexo

Arrodeia e se enrosca

Casulo rasgado

Alma perdida

Não me encontra

E parada continuo

Morta

Deito o corpo

Agarro pelos sonhos

E volto a ser

O que

Não sei.



Yasmine Lemos

12/07/2010

DEFESA PERFEITA

domingo, 11 de julho de 2010

OLÉ!

Espanha campeã da copa 2010,merecidamente!E minha alma lavada .(YL)

sexta-feira, 9 de julho de 2010

DE MAR E TEMPO


O mar me olha mansamente e não existe nada entre nós.

Sós.

Ondas sumiram, pedras se esconderam.

Revolto vento ,já não me empurra

Correnteza lenta.

Tempo do sol

Sento na beira do mar

Ele de repente gigante

Olha-me

Ondas formadas

Balanço de ninar

Presentes

Música de yemanjá

Perfume

Sal

Sua permissão para mergulhar

Amor singular



Yasmine Lemos

09/07/2010

quinta-feira, 8 de julho de 2010

DE MONSTROS

Goleiro Bruno sendo preso no RJ ,mandante do assassinato macabro da amante Eliza Samudio
(crédito da foto:Cassiano/Folhapress)


DESGRAUS
Não desças os degraus do sonho

Para não despertar os monstros.

Não subas aos sótãos - onde

Os deuses, por trás das suas máscaras,

Ocultam o próprio enigma.

Não desças, não subas, fica.

O mistério está é na tua vida!

E é um sonho louco este nosso mundo...

Mario Quintana - Baú de Espantos

quarta-feira, 7 de julho de 2010

MONOBLOCO

DA VIDA


A vida se quiser me entregue nas mãos cacos de vidro, que posso tentar fazê-los uma escultura, mesmo que corram gotas de sangue, quem olhar, achará que são liquidos de algum doce que comi, travo na língua, azedo sem fim. A vida é assim. Nada é exato, depende do ângulo de quem as vê e crer que são reais.

A faca também corta a rosa que brota, e ela ainda sustenta beleza, mesmo que por poucos dias, o consolo do regador, não diminui a solidão de não se ter mas seu jardim, mas a vida é assim.

Existem cortes para que se abram cicatrizes e aprendizados. Cheiro fraco de perfume mofado, de flores que enfeitam rostos que já não mais sorriem.

Como a agulha costura o pano, pode furar um nervo e apenas um pingo e a dor fina lateja como um sofrimento rápido que depois sugado pela própria boca, se aquieta diante do analgésico.

A vida é assim,viver e amar é tudo isso, mas suas recompensas são extremas, suas fontes inesgotáveis.

No mais , ficam as hipocrisias, que não nos permitem chorar, sentir alegria, gritar, ser feliz. Mas sou desobediente, rebelde, arisca, inquieta, mesmo dormindo.

Se cair e minhas asas imaginárias não funcionarem, eu penso e , imagino ,corro o mundo, e sorrio para quem tentou me parar .

Faço o que sinto e meu coração manda por isso quase sempre não me entendo e amo um tanto mais, sempre mais .

É a vida.



Yasmine Lemos

07/07/2010

segunda-feira, 5 de julho de 2010

MAIS QUE A MIM

SEU JORGE E ANA CAROLINA

DE ENTENDIMENTO



Um dia observei alguém. Chamou a minha atenção. Jeito nada certo, modelo fora dos padrões muitas opiniões, raivas, alegrias. Maneira algumas vezes direta de dizer as coisas, ou uma verdade  que acha ser dela. E acredita mesmo. Chora sorrir, uma colcha de retalhos e cada parte um fato, uma história. Mania de beijar, abraçar. Recolhe pensamentos no vento e os perde se não esquentar a alma.

Saí de frente do espelho. Acredito que só eu mesmo para me suportar do contrário quem me entender, me ponha no colo ou me dê um abraço. Já me basta.



Yasmine Lemos

05/07/2010

sábado, 3 de julho de 2010

CANARINHO

De volta pra casa...

quinta-feira, 1 de julho de 2010

A ILUSÃO(um poema do meu pai)




É como um bisturi

Cortando fundo

O lado interno

De minhalma

Depois se enxergará

Somente

A cicatriz exposta

E

Exigirão de mim

O riso mais farsante

E

Ao que me resta

Chamarei de vida



Rubens Lemos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...