quinta-feira, 31 de março de 2011

DESENHO


O caminho que faço

Desenha seu traço

Riscos sem dor

Mapa do seu corpo

Meu cobertor



Yasmine Lemos

31/03/2011

quarta-feira, 30 de março de 2011

AUTO AJUDA



Se um poeta maior, o melhor, me colocasse versos nas mãos, tentaria fazer canção, poema ou consolação. Nada sinto, e não sou, nem estou. No peito apenas uma frase teimando em repetir: você existe sim,você existe sim.

Yasmine Lemos

30/03/2011

terça-feira, 29 de março de 2011

O PREÇO


E mesmo com as tormentas no mar, imensidão que me faz naufragar em minha própria inquietação, as saudades me rodeiam, ausência que se faz presente nos meus pensamentos.

Lembranças de rostos , laços de nascença. Saudade enraizada . Espero o choro chover meu oceano, escapo mais uma vez da tempestade, alma gritante, afoga-se em mim.

Aliviada, coração ofegante, tenho a certeza de que fiquei também em algum lugar, e só de ter a certeza que não sou completa, valeu a pena, a vida é amar, e tudo tem seu preço.



Yasmine Lemos

29/03/2011

(a saudade da minha avó e do meu pai amanheceu hoje mais dominadora)












domingo, 27 de março de 2011

SÓ UM ABRAÇO

sexta-feira, 25 de março de 2011

CURTAM !



Chegou o fim de semana!!! Muita música linda ,amor,paz e luz. bj (YL)

"...Você é mais do que sei ,é mais que pensei..." (Tim Maia)

"..Eu não quero dinheiro , eu só quero amar..." (Tim Maia)

quinta-feira, 24 de março de 2011

SORRISO


Busco a claridade, em terras profundas. Buscando ar puro, leveza na alma. Encontro seu sorriso no mesmo abismo e na profundidade antes apavorante. Ele clareia a vida e nesta luz vejo que tudo era em mim, morava dentro do mais profundo da minha alma. Sorri, só o que peço,clareando meu mundo, nem que seja nos sonhos, onde a escuridão será precisa para que o sol não lhe veja e leve você de mim.

Yasmine Lemos

24/03/2011

quarta-feira, 23 de março de 2011

terça-feira, 22 de março de 2011

NERUDA


"Te amo, beijo em tua boca a alegria".
(Pablo Neruda)


segunda-feira, 21 de março de 2011

COISAS...


Tem coisas que se vão , mas ficam , vingam . Cimento batido, passarinho perdido e na alma lembrança de um jardim florido.

Yasmine Lemos
 21/03/2011

domingo, 20 de março de 2011

DIA DO BLOGUEIRO

HOJE É DIA DO BLOGUEIRO.PARABÉNS PARA TODOS QUE FAZEM A BLOGOSFERA! YL

quinta-feira, 17 de março de 2011

quarta-feira, 16 de março de 2011

PURO


Tendo um amor inteiro

Ao tê-lo

Nada saciado

Querendo o que tens

Sendo sua

Sente a sede que não se mata

Desejando tudo

Não se tem nada

Olha meus sonhos

Neles nada de real

Mas sinto que tenho tudo

Sono cansado de amor puro.



Yasmine Lemos

16/03/2011

terça-feira, 15 de março de 2011

POEMA IMPERFEITO

Poema da comemoração do dia da poesia no blog do Xipan Zeca clique aqui



Não farei o poema perfeito
Não sou completa

Sou imenso defeito
Busco cacos de palavras ao vento

Choro em linhas
Sorrio da rima que encontra o desfecho

O poema é minha busca
Consolo e angústia
Dele eu respiro
Por ele consolo e grito

Ele me revela
Me despe
Me repreende
Me mata
E eu vivo .


Yasmine Lemos
14/03/2011











segunda-feira, 14 de março de 2011

EM LEGÍTIMA DEFESA / RUBENS LEMOS

Hoje dia da poesia. Parabéns aos poetas, aos sensíveis ,aos humildes . YL


A poesia está

No bico do pássaro

(calmo e faminto)

Que passa sobre o homem



Apenas o poeta

Inconcluso

Momento

Instrumento



Inacabado artesão

Que se permite

Vitimar a palavra

Com honradez



- a honradez do pássaro

Que voa em legítima defesa .



Rubens Lemos

(Livro :Ciclos da Pedra e do Cão) 1978-Natal / RN

sexta-feira, 11 de março de 2011

É...!!!


"Já que para ser homem tem que ter a grandeza de um menino"(Toni Garrido )

É FIM DE SEMANA!!! muita paz e amor bjs YL

UM CONTO SEM FIM


O sonho é um reverso da realidade. Um lapso da incerteza do final. Revela-nos a nossa tolice em acreditar em tudo que se imagina ou ouve.

Estava na varanda de casa quando ela chegou. Papel e caneta nas mãos miúdas.
Cabelo liso, tons avermelhados. Tinha mania de acumular folhas soltas na sua bolsa de crochê feita pela avó.
Não tinha uma beleza que chamasse atenção, era simples, singela, traços brandos. E gostava de conversar. Vestido amarelo e azul. Magrinha, não sei a idade.
Sua voz era meio aguda e de menina pequena, que tinha que ser.

Pediu quase gritando: - “Escreve uma história pra mim...!”

Imaginei que todas as histórias de criança são feitas de cores e doces. Comecei a criar algo magnífico, colorido, onde um príncipe a salvaria do dragão.
Percebi que as mãos pequenas apagavam minhas frases e perguntei o motivo:
- Essas histórias eu não gosto mais de ouvir e continuou:

se quiser me contar uma história, que seja curta.

Talvez uma invenção da sua mente, mas que tivesse relance de sentimentos bons, assim estaria perto da realidade que a cercava.

Ela buscava aquelas histórias inventadas de quem gosta de escrever e esconde-se atrás de nomes e personagens. Ali vejo o bem e o mal andando de mãos dadas.
Obedeci.
Os inventores são tão óbvios quanto os espelhos das suas casas. E acham que enganam.
Eu me iludo, talvez deixe fluir os pensamentos de quem desejar sonhar através das minhas linhas tortas.
Ela queria ouvir todas as verdades inventadas e mentiras camufladas, falando de amores imaturos, beijos interesseiros. O óbvio da humanidade que gosta de enganar-se e dizer:

- Dinheiro não traz felicidade, e o amor é tudo pra nós!

Era uma menina, uma menina que sonhava. E não acreditava em bruxas, ela era feliz, e tinha um sonho que era mais que seu amigo, um dia alguém apareceu e o tomou e foi embora, depois veio outro alguém que parecia uma fada e rasgou sua caixa de recordações.

Ela parecia visivelmente cansada e enrolava o dedo indicador na barra do vestido. Já não aceitava um só “Era uma vez” ela me disse que existiam vários em sua vida e nenhum final.

Entendi que não era a história, mas o fim e ponto final.
Sonhar não é só carregar desejos infindáveis, pode ser uma bolsa de crochê esperando mais um rascunho amassado, mas com um final lógico.
Ela me fitava calada e sua borracha na minha mão lembrava um miolo de pão dormido. Eu tinha que escrever o final.
Sentei-me e comecei narrar, enquanto ela escrevia rápido nas letras, instantes grandes outras pequenas.
Fechei os olhos e falei para que ela me ouvisse. Foram coisas simples, mas reais. Confirmei que as bruxas existem sim, elas são de vários tipos, algumas escrevem também, dão risadas altas e têm a inveja como um argumento de base para destruir as coisas alheias. E que os sonhos terminam voltando, mesmo roubados, talvez para outros corpos, mas jamais ficarão aonde não encontram caminho.
A borracha havia acabado, faltava o ponto final.

Olhei de lado, a menina havia crescido, meus rascunhos, eu mesmo guardei no peito, e as bruxas continuam a rondar soltas.

Coração sem ponta, folha incompleta, sonho de anjo querubim.

E o fim?


Yasmine Lemos



quinta-feira, 10 de março de 2011

SEM RESPOSTAS


Que maravilha não saber de nada. Se soubesse das minhas respostas, quem iria escrever minha alma? Ela seria esquecida por mim . Minhas linhas das mãos mudam, se desencontram. As que ficam no papel até depois de rasgadas, ficarão grudadas em algum pensamento, algum coração. Não saber de nada, é buscar do mundo seus silêncios confusos, sejam nos sonhos de relâmpago ,quando o olhar se fecha , no meu movimento de prender o cabelo. Neste exato momento sei e sinto, outra mão segurando meu rosto, gesto impreciso, gesto perfeito. É quando sonho em um piscar de olhos. E isto me basta . Uma gota de certeza , uma imensidão de desejos ...

Yasmine Lemos

10/03/2011

terça-feira, 1 de março de 2011

ATÉ MAIS!!!


Turma da blogsfera , estou em OFF , só volto depois do carnaval . Brinquem um carnaval em paz e com alegria , para os que não gostam da folia, aproveitem os dias de folga. Para a turma da serpentina, muita responsabilidade , não dirija se for beber bebida alcoólica . E vamos nós!!!
beijos e até  logo mais.
YL
01/03/2011

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...