segunda-feira, 3 de abril de 2017

Muitas vezes...







Sentir já basta. 
Escrever muitas vezes maltrata.


Yasmine Lemos

sexta-feira, 31 de março de 2017

Saudade! Grita o peito.





Continuava ela a olhar o tempo no seu fingimento de não passar. Ele passa sorrindo, ri da angústia da moça, nem ele volta os relógios, lembrava. Ela não fazia barulho algum, mas por dentro os terremotos de agonias desmontavam seu sorriso de fotografia . Iria ser normal sim, mergulharia seu vazio no vinho, não notaria o rímel borrado nem o batom se desfazendo sem beijo, falaria bobagens, e reclamaria de conversas piores do que as dela, entre vozes e vultos brilhosos artificiais, a viagem invisível: saudade! Grita o peito. Em casa, corpo dormente, não se esqueceu do senhor tempo que amanhã mostraria os mesmos barulhos de sempre.

Yasmine Lemos

quarta-feira, 15 de março de 2017

Escute...






Eu preciso do silêncio que a poesia guarda.
Seus gestos leves.
Sem barulhos.
A poesia mora na mansidão, na exaustão depois da guerra, nesse cansaço de nada saber, no esgotamento. É lá que ela mora. Silêncio. Escute o que ela pede. 
Para florir é necessário a dor que ninguém ouve,depois a felicidade que todo mundo percebe.

Yasmine Lemos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...