terça-feira, 29 de dezembro de 2009

BENVINDO 2010




Faça um poema
e veja o tempo parar.
Você se eternizar.
Brincar com o destino.



Yasmine Lemos
29/12/2009



segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

MUNDOS




Quando descobri que tropeçar pode significar abrir atalhos, não percorro mais caminhos muito óbvios, neles existe a clareza que me perturba por ser exata demais. Sinais e placas de obrigatoriedade .
Prefiro a busca pela surpresa, o fato que ainda não nasceu, e que me espera como a boca pelo gole que mata a sede, assim reinvento outros mundos, faço o que sinto vontade, choro a saudade,  abro clareiras, queimo a realidade sombria. Dou pulos de alegria .


Eu vivo.






Yasmine Lemos


28/12/2009

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Uma frase do meu pai.




" A vida passa, mas o passado não passa." (Rubens Lemos)

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL


PAZ NA TERRA,PAZ NO CORAÇÃO DO HOMEM

MUDEZ



O silêncio é imperador, com ele não se discute , covardia da palavra que se esquiva, para não se expor . Porém nele os olhos falam , exibem uma história inteira, sem mudar pontos nem vírgulas , tendo uma só imperatriz  sem trono , e que tem na falta de resposta um vazio e recebe no peito a dor.

Yasmine Lemos
21/12/2009

domingo, 20 de dezembro de 2009

OFERENDA A LION



Esperei.

Não ouvi.

Ganhei?

Não responda.

Veja meus olhos minha agonia em querer ser entregue sem rebeldia.

Loira, ruiva, morena, aparecida,
Menina.

Sua.

Pesadelo suave

Flores querentes do seu beijo quente

Acordar feito canto de yemanjá


E obedecer:
Já.
Meu corpo e suas mãos a enxugar nosso jardim.
Oferenda com passado esgotado
Você em mim.
Sem rima.

Continuação.
Repercussão.
Ondas  sem parar.
Vai e vem
Areia ,flor,amor e mar. 



Yasmine Lemos


20/12/2009

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

(...)



Amar com coragem é uma das maneiras mais dignas e compensadoras de enfrentar o mundo, é rodopiar com o vento, vestida de tempo, e não temer os alinhavos da vida.



Yasmine Lemos


17/12/2009

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

MÚSICA

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

OBRIGADA DEUS




- “Mãe desculpe se fiquei chateado, mas é  muito difícil olhar o mar e não poder molhar os pés”.(RN)



- “Todo homem morre um pouco quando maltrata um animal”.(RN)


- “Nada é tudo que a gente não quer”.(RN)


- “Tenho um despertador muito lindo, mãe, escuto o canto dos passarinhos...”.(RN)






Obrigada Deus pelo meu menino, meu beija-flor, meu amigo.


Há cinco anos ele nascia. Guerreiro lutando contra o tempo. Hoje somos tantos. Vejo rostos em breves tempos de lances de infância, depois vejo meus irmãos, vejo meu pai e amigo,vejo um Leão rei do nosso reino de carinho e amor, duas avós que amam por amar e esse é o dom!.


E nele tenho uma aglomeração de pessoas. Até o anjo da guarda toda noite no”Ilumine amém”! Abrindo as mãos do meu pequeno como se ele fosse o cobertor.


Rubens meu amor. Minha vida. Meu beija-flor.


Parabéns pelo seu dia.






Yasmine Lemos


15/12/2009

IMAGINAR



Amar e esperar são minhas verdades. Ser livre já nem imagino, quero voar para dentro dos seus olhos e ganhar o mundo.



Yasmine Lemos


14/12/2009

domingo, 13 de dezembro de 2009

SEM ARTE FINAL



Desenho inacabado, desejo interminável.
Exercício da expectativa
Uma ansiedade saudável.
Momento único
Frisson da alma
Milésimos de segundos,
Beijo roubado,
Carinho preguiçoso,
Mãos enroladas sem saída no pescoço.



Yasmine Lemos
13/12/2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009



Quando sonho, não aceito versões infelizes, não quero cenas tristes. Lá o mundo é meu, mudo o tempo, transformo não em sim, corda que amarra o peito e não desata o nó .Choro em riso. Você pra sempre comigo.

Yasmine Lemos
09/12/2009

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

NENHUM TEMPO



Todo amanhecer o passado leva um pouco de mim.
Não sou passado, sou uma vontade no presente.

Juntando o agora, colando pedaços me achando entre espaços vagos.
 Portais de pensamentos.


Que também não serão futuro, pois está formado o instante.

Como num sopro apago a página inteira.


Dentro de mim, resta a história.

Cenário roubado:
Dias alegres

Outros nublados.


Yasmine Lemos
08/12/2009



sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

RITO



Olhe-me com calma

Desertos surgirão nos meus olhos

Beba-me como um vinho

Travo com gosto de angústia


Feche os olhos

Rios abundantes cobrem areias

Sentimentos meus dentro de ti

Já me tens.



Yasmine Lemos

04/12/2009

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

FONTE





Fonte

Composição: Saul Barbosa, Jorge Portugal


Não há nada mais bonito
Que o nosso amor
Ele é sonho, é som, é sol, é cor, é vida



Não há nada mais bonito
Que o nosso amor
Ele é sonho, é som, é sol, é cor, é vida

Quando a tristeza quer chegar
Penso na chama de nós dois
E me aqueço no calor



Que vem da luz do teu olhar
Pensando bem
Que força tem
O amor de quem sabe se dar
E transforma tudo
Em fonte de beleza



Pode o dia escurecer
E até o mundo se acabar
Eu invento a luz
Faço a vida nascer
De outro lugar
Quem ama de verdade
Tem o dom da criação
E pode até voar
Pelo infinito da paixão



Pode o sol escurecer
Até a noite desabar
Eu invento a luz
E faço a vida nascer de outro mar
Quem ama de verdade
Pode até mover o céu
Pois quem ama assim
É mesmo um Ddeus










quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

FOLHAS E VENTOS





Vejo as dunas verdes no horário entre quinze horas e alguns minutos de observação.



Pela janela, debruço o corpo, um homem grita longe vendendo frutas.


Canto canções em pensamento, calada.


Queria o vento o tempo inteiro invadindo meu quarto, derrubando alguns objetos e encontrar bilhetes antigos, lembretes de horários que já não voltam mais , ter a sensação que ele quer lembrar-me algo que nunca saiu, nem sequer chegou. Lugares que não fui, mas estava la, outros que sempre estive e nunca fui.


O horário muda com o vento, agora trazendo folhas para dentro de mim, termino me sentindo um jardim, meio esquecido.


Tudo isso em minutos.


Árvores cresceram, plantas nasceram, musicas surgiram. O vento pára, o tempo passa e sorrir.


As dunas me olham imensas, recebo um abraço de folhas secas.


Desarrumada pelo vento, me entrego ao tempo e volto,preciso arrumar meus sonhos,começou dezembro .






Yasmine Lemos


01/12/2009


segunda-feira, 30 de novembro de 2009

POEMINHA SOZINHO




Triste como a chuva


Frágil como asa que já não voa


Sensível como um vulcão


Que exploda tudo por dentro


Quando a lágrima tocar meu peito


Alma em erupção.






Yasmine Lemos


30/11/2009

PAISAGENS




Para extravasar sou dona do meu pedaço de papel, na hora em que escrevo , rasga tudo por dentro, apago, componho novamente.


Inteiramente livre, podendo construir diversas versões de sentimentos de aço, ouro, prata e vidro.


Paisagens dentro do peito.


Outras se passando constantes na minha frente, nada ilusório, sonhos acordados na realidade do vento que espalha toda a história pelo chão.


Mesmo a caneta falhando, uma certeza de estar acertando, zelando nos registros minhas quedas e tropeços. Estava tentando, isso é um fato.


Erros e acertos, realçando no grafite da memória as partes mais significantes.


Até mesmo nos erros que cometi.






Yasmine Lemos


30/11/2009

 

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

VOVÓ MARIA - Sem medo do tempo



Vovó Maria, nome de avó de contos de fadas.

Completou seus 90 anos de vida.

E eu com a sensação de não saber nada da vida.

De não precisar de respostas.

De não precisar o tempo todo pedir desculpas.

Chegar ao estágio humano e emocional sem tanta complicação.

Sempre quis saber o que é a corrida dos homens contra o tempo, enquanto o tempo rir da velocidade que os engole calmamente.

Dos homens que não sentam nas calçadas e não perguntam aos sábios por imaginarem já saber de tudo.

Somos tão medrosos. Medo do tempo.

Com 90 anos existe um respeito da vida daquele que carrega o tempo no bolso, fazendo de conta que o comando está em suas mãos. E não está?

Temos medo de tantas coisas, vou procurar ter medo de assombrações, acreditar em fadas e mundos encantados. O tempo não consegue acompanhar o sonho.

Queria poder viver tudo, e como ela faz quando ouve uma música, dedilhar na borda da mesa como se tocasse um piano ,cantando ,buscando letras que ainda emocionam.

Nada de mais.

Parabéns minha Vó, nossa Bisa.

Yasmine Lemos

27/11/2009

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

MEDO



Sou qualquer coisa que sente medo, amor, agonia, saudade. Sou uma mulher sem nada nas mãos, tentando encontrar  caminhos não muito lineares , neles existe a ilusão. Com areia que devora e abismos nas encostas.



Yasmine Lemos


25/11/2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

5 SENTIDOS



O homem beija o seio

Pousa o corpo leve

No ombro alheio

Pausa necessária



Sentir morrer

A saudade que se esconde

Sugar nada além do olhar

Cheiro de arrastão do mar



O homem reclama

A chama

E engole no gesto bruto

A saliva


 

Morre na boca

Esquece na mão

Tempo e entrega

Seio  - canção .




Yasmine Lemos


23/11/2009

FRASE




Ame ou odeie , mas sempre por perto .


Yasmine Lemos
23/11/2009

sábado, 21 de novembro de 2009

MÚSICA

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

JARDIM



Plantar
Cuidar
Flores sem outras mãos

Abelha meio que posseira
Sugando uma vida inteira
Voraz

Futuro igual
Ferrão lembrando
Vida real .




Yasmine Lemos


20/11/2009




quinta-feira, 19 de novembro de 2009

GESTOS




“Gentileza gera gentileza” (Profeta Gentileza)

...Não me aborreço com gestos brutos, mas com respostas sem jeito.
Não duvido de ações e fatos, o que me intriga é a passividade de quem as assiste, e não percebe que estava no mesmo cenário e não entendeu o enredo da história.



Não cobro nenhum super herói, como não deixo que me tomem atos impulsivos, mesmo que eles já tenham sido um fato e realização, desses não abro mão: beijo e abraço, silêncio e laço.


Reflexos do mundo, inacabado e negando aprendizado.






Yasmine Lemos


19/11/2009

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

SEU JORGE - Balanço e voz






SENTIR



... A única coisa que acredito possuir é o amor . E não entendo essa mania que ele tem de invadir, se apossar dos poucos espaços que conheço para engolir o mundo.

Ele tem coragem de me fazer sentir que nada tem uma explicação, só basta senti-lo. Aflição, uma quase convulsão no meio da paz.


E assim segue meu coração, que só sabe bater acelerado.






Yasmine Lemos


18/11/2009


terça-feira, 17 de novembro de 2009

CLICANDO NO X



A vaidade, assim como a amargura, pode nos limitar ao ponto da paralisia.
Quando focamos apenas a aparência – ou “aparências” – limitamos o nosso campo de percepção enormente. (Ovídio)

A natureza no seu ciclo natural expande nosso corpo, estica a estrutura óssea e o espírito, a cabeça muitas vezes tem que acompanhar a evolução, embora em alguns aspectos seja mais complicado.



Explicar as mudanças ambientais, os avanços da humanidade, ainda dá para se sair mais ou menos. Complicado é provar que o moderno é melhor do que o antigo, e se deparar com tantas coisas ruins que a modernidade gera.


Não entrei na onda do twiter. Já me bastava o Orkut que me exclui.


No twiter, exposição total da vida pessoal. Com raríssimas exceções de quem sabe usar realmente o meio de comunicação para alcançar objetivos profissionais.


Posso ser até crucificada, mas quem quer falar com seus amigos de verdade através da internet, usa o email, o MSN, agora nem eu sei. Prefiro pessoalmente , conversas olhando as reações do olhar .


Outro dia ouvi o presidente dos EUA, Barack Obama, não , ele não é meu AMIGO do twiter, dizer pela TV que era “desajeitado” para usar o site de relacionamentos.


Soou nos meus ouvidos que muito pelo contrário, ele sabe bem o poder que uma frase mal usada ou interpretada pode causar na vida de uma pessoa pública ou um simples mortal.


Conversei com uma viciada no twiter , e me deu uma sensação de carência de exibir-se por nada, de falta de assuntos consistentes.


Ela me disse que já tem mais de cem seguidores e que segue mais de 200, e só conhece mesmo 5 % das pessoas que fazem parte do seu quadro de amizades.


Disse-me que era amiga de Jô Soares, Willian Bonner, Pedro Bial, Marília Gabriela, José Serra, Aécio Neves. E não conhece nenhum. Mas é seguidora porque faz com que o perfil passe “moral” aos outros.


Ela não parava de narrar fatos interessantes. Outro dia, com essa história de apagão, um político perdeu um vôo, foi uma agonia. Era uma narrativa engraçada, “estou aqui, agora estou ali.”


E esse pessoal todo que acompanha, não faz nada, não trabalha? Indaguei.


No que resta são diálogos extremamente desnecessários, frases soltas que na minha humilde opinião não precisamos saber, se fulano vai viajar, dançar, beber wisque, vinho, cerveja... “eu estou cansada, cheguei agora da academia! ufa!” “Ontem tomei um vinho maravilhoso!”


Frases desse tipo: “Gente ganhei um carro”! “Hoje vai ter festa na casa da Lulu” Entrei junto com essa amiga na sua página e realmente não era exagero. E aí li uma frase brilhante: “ Hoje vou viajar para São Paulo, estou super nervosa...” Imaginei Jô Soares lendo, José Serra muito ocupado com seus afazeres políticos tendo que ler a bendita mensagem.


Ela continuava. Tem mais: “- Tem pessoas que não conheço e entram na minha página e ficam meus seguidores sem que eu possa fazer nada. Então faço isso com os outros também”.


Enfim, fiquei matutando o motivo, o objetivo disso, quando se tem uma fonte imensa de informações e a maioria das pessoas desperdiça com bobagens. Existe de tudo: filósofos, escritores, fofoqueiros (de ruma), curiosos (milhares) vaidosos ( não se sabe o número exato)e as celebridades que narram até o banho do bicho de estimação.


Vou caminhando e olhando para trás ,seguidores deixo para Jesus, Gadhi, Buda...


Clicando no X (cantinho da tela) , tô fora .






Yasmine Lemos


17/11/2009



segunda-feira, 16 de novembro de 2009

HOJE



Cada vez me entendo menos e sinto que cresço, me agiganto, percebo a transformação interna. Não viro alguém extraordinário. Com a mesma forma do corpo, sinto virar águia, tigresa, até coelho. Bichos temperamentais ou mansos. E continuar a mesma pessoa de sempre.



A sensação é tão minha e não sei se vale à pena registrar, imaginações sem um conteúdo forte. Ora, sou uma pessoa que acredita em anjos e demônios. Que dirá em palavras cortantes e transformações da natureza humana.


Um dia gritamos depois sorrimos,magoamos,perdoamos.


Hoje estou cansada, mas feliz porque não recebi ainda todas as respostas da vida, então terei muito que escrever. Mas hoje não. Estou cansada.






Yasmine Lemos


16/11/2009


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

FELIZES



E naquele tempo nos sentíamos poderosos. Donos de uma verdade inquestionável.



Felizes. Braços solidários, cabelos fora de moda. Roupas se adaptando a transformação do corpo e na cabeça nenhuma maldade. Melodias e sonhos .


Éramos três, quatro, cinco. Até o número em que a alegria pede para parar. E ela nunca cansava.


E o tempo não voa.


Passa .


E a gente olha e não faz mais nada, além de lembrar.


E aquele tempo eu guardei pra mim.






Yasmine Lemos


12/11/2009


PENSAMENTO




...Não temo tempestades, choro algumas vezes mais do que elas e não derramo uma lágrima. Choro por dentro.



Como a noite me engole, deixo a escuridão secar.


Vem sempre o dia.


E olho o céu azul. Voar seria quase esse meu desejo. Mas voar é quase nada pra mim.


Melhor é enfrentar o mundo como tento, é ter coragem de seguir adiante.


É acordar e sentir minha força maior no amor que pulsa sobre todos os meus órgãos e sentidos. O espírito se regojiza, e não sou mais a tempestade, sou a mesma do sorriso de ontem, do cheiro grudado.


Quem não me entender, paciência. Todos os dias sou uma surpresa pra mim.



Yasmine Lemos

12/11/2009

terça-feira, 10 de novembro de 2009

ÍNFIMO




Na vida
Diversas coisas são mastigadas.
Engolidas,
Trituradas,
Sem sabor.


Indiferença
Maldade
Cinismo
Estender a mão ao inimigo
Desamor


Fruto de queimada
Ínfimo
Árvore inteira
Sem nenhum valor.





Yasmine Lemos



10/09/2009

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

PETIÇÕES DIÁRIAS



Eu não creio no tempo dos choros perdidos, eles existem e secam. Que a vida traga um sorriso largado com pouso certo e direto no meu colo de dormir.



Não quero a modernidade enjoada, tecnologia que se comenta quem caiu , quem sorriu , quem nada fez.
Recados em linha reta, pensamentos em cabeças tortas.


Não creio que as marcas na pele ficarão descascadas pela ira dos maldosos, sei que o tempo virá e nem um final será mais belo que um vestido velho, meio descosturado pelas mãos nos momentos de controlar angústias e alegrias quase completas e infinitamente naturais.


Terço nas mãos um pano vivo de emoções diárias, perdidas, encontradas.


Os um muros não são altos, mais existe o perigo que o vento faz com que os cabelos voem para lembrar que o tempo não dispensa o,que sopra, leva e traz.


Jamais esquecer. Aprender: muros que separam vidas que continuam perigos isolados, lembranças registradas, saudade consolada.


Permita-me vida que eu seja um ponto de encontro, uma paisagem para que jamais seja despedida. E basta um pequeno gesto do amor para que eu sobreviva e do velho vestido, siga rastros dos pontos reforçados pelas quedas nas horas das descidas ilusórias, declive da memória.


Eu creio. No vestido no corpo, desenvoltura entre a história e continuação do livro com brandura.


Ninguém escolhe dor, nem a cor da roupa do dia que antecedeu o choro ou o riso. As fotografias, nada mais do que um presente fora do tempo.


Como abrir o guarda roupa antigo. As roupas olhando me vestem de panos, o corpo obedece.


Observando o espelho, minha alma nua e leve, alguns remendos transformados numa colcha de vários sonhos retalhados, alinhavados e a felicidade sempre insistindo em decorar meu espírito.


Traga-me vida o de sempre: vontade de amar, chorar e emocionar.


Yasmine Lemos
09.11.2009






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...